Sobre esse livro

Houve uma época, não muito distante, em que o primeiro contato de um estudante com a Ciência da Computação passava, necessariamente, pela plataforma mainframe. Não havia muitas alternativas. MVS, TSO ou ROSCOE, FORTRAN, COBOL, JCL, CICS e VSAM faziam parte dos programas e dos laboratórios de qualquer instituição de ensino técnico ou universitário frequentada por aqueles que quisessem ingressar no mercado da tecnologia da informação.

O desenvolvimento e a popularização de plataformas menores, redes locais, computação distribuída, internet e o mundo mobile aumentaram não só o corpo de conhecimento na área, mas também o número de oportunidades no mercado de trabalho.

Instituições de ensino, naturalmente, direcionaram o foco para essas novas plataformas, buscando atender a um mercado crescente e interessante. Mais do que isso, o crescente interesse da comunidade de TI juntou-se à oportunidade de redução de custos. Afinal, é muito mais barato manter um laboratório para ensinar Java do que um mainframe para ensinar JCL e COBOL.

Mas o mainframe se manteve essencial em todas as grandes empresas do mundo. Das agências de governo às operadoras de cartão de crédito; dos bancos às fornecedoras de serviços de telefonia; das seguradoras às administradoras de planos de saúde… todas aproveitaram as novas plataformas para expandir suas negócios e aplicações, mas mantiveram no mainframe os sistemas que sustentam seu core business funcionando.

Apesar de todas as inovações proporcionadas pelas novas tecnologias, a manutenção do investimento de anos ou décadas em sistemas críticos se justifica pela estabilidade, segurança e escalabilidade da plataforma mainframe, que não parou de evoluir.

O fato é que estima-se que, só em COBOL, existam centenas de milhões de linhas de código rodando em mainframes ao redor do mundo. E que alguns milhões de novas linhas de código sejam criados nesta linguagem todos os anos. Mas uma pesquisa rápida em livrarias on-line mostrará que pouco se oferece sobre esse tema.

A ideia de editar esse livro surgiu, portanto, da necessidade de fornecer alguma informação atualizada sobre os conceitos e recursos da plataforma mainframe.

Não pretendemos aqui esgotar toda a tecnologia envolvida nem formar administradores e desenvolvedores de sistema. Nossa intenção é apresentar uma visão geral sobre mainframes para programadores, analistas, líderes técnicos ou gerentes que não conheçam essa plataforma. Esperamos que, ao fechar esse livro, o leitor saiba o que são e para que servem alguns dos principais recursos de hardware e software que tornam o mainframe um equipamento diferenciado, e que são mencionados frequentemente no dia a dia de quem trabalha com essa plataforma.

Por ser destinado a profissionais que já atuam com tecnologia da informação, assumimos muitas vezes que conceitos fundamentais como sistemas operacionais, bancos de dados, periféricos e sistemas aplicativo já já são de conhecimento prévio.

Buscamos sempre que possível contextualizar e ilustrar os recursos, mostrando como eles costumam ser adotados em algumas das empresas com as quais trabalhamos nos últimos trinta anos.

Não pretendemos apresentar uma introdução ao processamento de dados, e sim um texto que forneça uma visão geral sobre o que acontece hoje no mundo mainframe.

Espero ter sido bem sucedidos.

Boa leitura.

Paulo André de Souza Dias
Itabirito, Setembro de 2016


Anterior Conteúdo Próxima